Páginas

segunda-feira, 12 de março de 2018

'Brasil gasta muito e é improdutivo', diz estudo

Um estudo publicado pelo Banco Mundial no dia 07 de março, sobre o emprego e a produtividade no Brasil afirma que o país tomou decisões erradas nos últimos anos para estimular a produção, o que fez com que o setor se tornasse “ineficiente na maioria das atividades que realiza”. O documento aponta que apesar de os gastos serem altos, não deram o resultado esperado.

O órgão aponta que o excesso de intervenções do governo no mercado acabou criando distorções na economia e fez com que as empresas se tornassem extremamente dependentes e desestimularam a entrada de novos concorrentes.

Em 2016, 4,5% do Produto Interno Bruto foi destinado a isenções fiscais, créditos subsidiados e transferências para setores específicos, nove vezes mais do que o gasto com o Bolsa Família, mas sem frutos. “Esses benefícios pouco fizeram para estimular a produtividade nos setores ou empresas que os receberam. Como resultado, os recursos no Brasil são mal alocados, o crescimento do emprego e da renda está enfraquecido e os consumidores pagam preços elevados por produtos de baixa qualidade”, afirma o Banco Mundial.

Produtividade

Ainda que os investimentos tenham crescido nos últimos anos, a produtividade não acompanha sua velocidade. O país é 17% mais produtivo do que era há 20 anos, enquanto em países desenvolvidos o índice chega a 34%.

Para os responsáveis pelo estudo, o país deve investir na capacitação de profissionais no lugar de programas como o seguro-desemprego. O Banco sugere ainda uma reforma tributária e a abertura dos mercados, com a retirada de impedimentos à concorrência externa.

A maior oportunidade econômica do Brasil é aumentar a sua produtividade. E isso não significa trabalhar mais horas, mas usar com mais eficiência os recursos do país, aprendendo com os melhores do mundo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário