Páginas

sexta-feira, 2 de fevereiro de 2018

Magnata acusado de agressões sexuais deixa cargo no Partido Republicano

Foto do emblemático hotel Wynn Las Vegas.

O magnata americano dos cassinos Steve Wynn deixou no dia 27 de janeiro seu cargo no Partido Republicano, após a publicação de acusações de agressões sexuais a várias funcionárias de seu grupo. Ele nega as acusações.

"Aceitei hoje (sábado dia 27 de janeiro) a renúncia de Steve Wynn ao posto de diretor de finanças do Comitê nacional republicano", declarou a presidente do partido, Ronna McDaniel, em um comunicado enviado à imprensa americana.

Wynn havia sido designado no cargo depois da chegada de Donald Trump à Casa Branca.

Dezenas de pessoas acusaram o milionário dos cassinos de Las Vegas de manter durante décadas uma conduta inapropriada, com acusações de supostas pressões sexuais a membros de sua equipe, informou o jornal Wall Street Journal.

Essa notícia explosiva, para a qual o jornal contactou mais de 150 pessoas que trabalham ou já trabalharam para Wynn, relaciona pela primeira vez nos EUA o tema do assédio a um CEO e fundador de uma grande empresa, cujas ações caíram 7,8% após a publicação das denúncias.

Nenhum comentário:

Postar um comentário