Páginas

quinta-feira, 28 de setembro de 2017

Confiança da indústria alcança maior nível em mais de quatro anos, diz CNI

O otimismo de empresários da indústria retomou níveis de março de 2013, antes do início da crise econômica brasileira. Segundo dados divulgados no dia 22 de setembro pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), o Índice de Confiança do Empresário Industrial (Icei) chegou a 55,7 pontos em setembro. O resultado indica um crescimento de 3,1 pontos na comparação com agosto.

O indicador de confiança da indústria também é superior à média histórica de 54 pontos. O levantamento da CNI varia de zero a cem pontos. Quando o resultado fica acima de 50 pontos, indica que os empresários estão mais confiantes. De acordo com o levantamento, a confiança é maior nas grandes indústria, segmento que registrou 57,4 pontos. Nas médias empresas, o indicador ficou em 54,7 pontos e, nas pequenas, em 53,4 pontos.
Segundo a CNI, confiança é fundamental para empresários da indústria voltarem a investir nos próximos meses.

"Tão importante quanto o aumento registrado no mês, é a manutenção da trajetória ascendente, de forma a garantir que o grau de confiança dos empresários seja suficientemente alto para reativar o investimento no setor industrial", diz a CNI, em comunicado. "Sem investimento, a economia brasileira não estará preparada para voltar a crescer em ritmo mais elevado nos próximos anos".

O índice de confiança em relação às condições atuais cresceu 4 pontos em relação a agosto, registrando 50,5 pontos. Segundo a CNI, esta é a primeira vez que o índice fica acima da linha divisória dos 50 pontos desde novembro de 2012. A pesquisa foi realizada entre os dias 1º e 15 de setembro com 1.165 empresas de pequeno porte, 1.142 de médio porte e 659 de grande porte em todo o país.

Cautela em outro levantamento

Desenvolvido pelo Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (Ibre/FGV), o Índice de Confiança da Indústria apresentou relativa estabilidade na prévia de setembro. De acordo com dados divulgados nesta sexta-feira, houve crescimento de 0,1 em relação a agosto. O indicador atingiu 92,3 pontos em uma escala de 0 a 200 pontos e retornou ao nível de maio, após queda registrada em junho.


A percepção em relação ao cenário atual, medida pelo Índice da Situação Atual, teve queda de 0,4 ponto e chegou a 89,6 pontos. Já o Índice de Expectativas, que mede a opinião do empresariado em relação aos próximos meses, cresceu 07 ponto e chegou a 95,1 pontos. O levantamento consultou 783 empresas entre os dias 4 e 19 de setembro. O resultado consolidado será divulgado no dia 29 de setembro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário