Páginas

terça-feira, 18 de abril de 2017

Menina de 5 anos reclama sobre roupas da Gap, e CEO responde

Garotinha envia carta pedindo estampas "de menino" em camisetas.

A menina Alice Jacob, de apenas 5 anos, decidiu escrever uma carta para a empresa de roupas Gap depois de ficar indignada com a falta de opções de roupas para garotas. Fã de super-heróis, dinossauros, esportes, carros de corrida, Star Wars e ciência, a carta da menina evidencia sua dificuldade para encontrar roupas que combinam com suas preferências.

“Eu gosto de camisetas legais, como as do Superman, Batman e carros de corrida. Todas as camisetas de garotas são rosas, de princesas e coisas desse tipo. As camisetas dos meninos são realmente legais, eles têm Superman, Batman, rock and roll e esportes. E quanto às garotas que gostam dessas coisas, como eu e minha amiga Olivia?”, reclama Alice em carta para a Gap.

Beth Jacob, mãe de menina, comprava camisetas para o irmão de Alice no site da Gap. A garota percebeu que as roupas da seção dos garotos da loja eram estampadas por desenhos como os de Star Wars, Hot Wheels e DC Comics, além de conter desenhos de tubarões e esportes radicais. Para as garotas, as opções se restringiam às princesas da Disney, Looney Tunes e Smurfs. Quando a carta de Beth veio a público, algumas marcas decidiram responder. O CEO da Gap, Jeff Kirwan, escreveu para Alice.

“Nós sempre tentamos oferecer uma ampla variedade de estilos e escolhas para garotas e garotos. Isso inclui uma sessão de camisetas para garotas com dinossauro, bombeiros, tubarões, futebol e alguns heróis”, contou o executivo. “Mas você está certa, nós podemos fazer um trabalho melhor oferecendo mais opções para todos. Falei com nossos designers e nós vamos trabalhar em coisas ainda mais legais que você vai gostar”.

Kirwan terminou a carta dizendo que estava enviando algumas das camisetas favoritas dela da Gap, incluindo uma da personagem Rey, de Star Wars.

Em resposta, Alice enviou ao CEO outra carta em que dizia estar se sentindo muito bem com os presentes “A camiseta da Rey é bem legal. Vou usá-la na escola amanhã”.

Beth também agradeceu os presentes e o convidou a discutir como poderiam trabalhar juntos para ajudar outras crianças a aprender que a voz deles importa. “Não é só sobre as camisetas, é? Nós temos uma chance de mostras as crianças de qualquer lugar que todas as grandes mudanças começam pequenas”, ela escreveu.

A mãe diz que a falta de opções de roupas se repete em outras grandes lojas de departamento, em carta publicada no jornal The Washington Post. Uma das exceções seriam as lojas com roupas no estilo indie, mas mesmo assim são opções caras e escassas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário