Páginas

terça-feira, 17 de janeiro de 2017

Teto do seguro desemprego sobe para R$ 1.643,72

Valor do benefício é válido para demitidos sem justa causa, pescadores artesanais, trabalhadores resgatados em condições análogas à escravidão e profissionais em lay-off.

O valor da maior parcela paga pelo seguro-desemprego subiu de 1.542,24 reais, para 1.643,72 reais, segundo divulgou o Ministério do Trabalho no dia 13 de janeiro. O reajuste leva em conta a inflação em 12 meses medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC). O novo valor do benefício é válido para todos os trabalhadores demitidos sem justa causa, pescadores artesanais em período do defeso, trabalhadores resgatados em condições análogas à escravidão e profissionais com contratos de trabalho suspenso (lay-off).

O valor pago pelo seguro desemprego é calculado em três faixas. O valor máximo é pago para quem recebeu acima de 2.417,29 reais nos três meses anteriores à dispensa. Quem tinha vencimentos entre 1.450,23 reais e o limite máximo tem direito a uma parcela que é calculada pela soma de um valor fixo de 1.160,18 reais mais 50% do quê exceder 1.450,23 reais. Já para salários abaixo de 1.450,23 reais nos últimos três meses, o valor do benefício é de 80% daquilo que era recebido.

O número de parcela varia de três a cinco, de acordo com o período trabalhado e quantas vezes a solicitação já foi feita. Para receber pela primeira vez, é preciso ter tido vínculo empregatício por ao menos 12 meses.

No dia 12 de janeiro, a Previdência informou que o teto dos benefícios pagos por ela também subiu segundo o INPC, para 5.531,31 reais. O salário mínimo de 2017 foi outro corrigido pelo índice: de 880,00 reais para 937,00 reais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário