Páginas

domingo, 15 de janeiro de 2017

EUA diz que Fiat manipulou 104.000 veículos para ocultar emissões

O anúncio provocou uma queda de aproximadamente 16% nas ações da empresa em Wall Street e a suspensão da negociação das ações da Fiat Chrysler na Bolsa de Nova York.

A Agência de Proteção Ambiental (EPA) dos Estados Unidos acusou no dia 12 de janeiro a fabricante Fiat Chrysler (FCA) de manipular cerca de 104.000 veículos com motores a diesel para burlar testes de emissões de poluentes. As ações da empresa tiveram forte queda e a negociação foi suspensa após o anúncio. A agência diz que a empresa instalou software que aumentam as emissões de óxido de nitrogênio sem comunicá-la. A EPA agendou uma coletiva de imprensa nesta quinta-feira para dar mais detalhes sobre o caso.

Os modelos de veículos que tiveram o software instalado são o Jeep Grand Cherokee e Dodge Ram 1500, fabricados entre os anos de 2014 e 2016 e vendidos nos Estados Unidos. A FCA está sujeita a sofrer processos legais e a medidas cautelares, segundo a EPA.

O anúncio provocou uma queda de aproximadamente 16% nas ações da empresa em Wall Street e a suspensão da negociação das ações da Fiat Chrysler na Bolsa de Nova York. A divulgação aconteceu um dia após as autoridades americanas terem imposto uma multa de 4,3 bilhões de dólares (13,67 bilhões de reais) à Volkswagen pelo escândalo dos motores a diesel. A fabricante alemã havia instalado softwares que detectavam quando os veículos passavam por teste de emissão de poluentes e então alteravam o funcionamento do motor, para burlar a fiscalização.

Nenhum comentário:

Postar um comentário