Páginas

domingo, 12 de junho de 2016

Poupança tem fuga de R$ 6,59 bilhões, recorde para maio

Evasão de recursos ocorre em meio ao prolongamento da recessão no país.

A retirada de recursos da caderneta de poupança superou os depósitos em 6,59 bilhões de reais em maio, a maior perda para o mês desde o início da série histórica, em 1995, de acordo com números divulgados no dia 06 de junho pelo Banco Central (BC). No mês passado, o total de aplicações no mês passado foi de 160,931 bilhões reais e o de saques, de 167,522 bilhões de reais.

No acumulado dos cinco primeiros meses do ano, a fuga de recursos da poupança superou os depósitos em 38,88 bilhões de reais, volume também recorde para o período. Em igual período do ano passado, a saída de recursos havia totalizado 32,28 bilhões de reais.

A evasão de recursos ocorre em meio ao prolongamento da recessão, do aumento do desemprego e da inadimplência. A baixa rentabilidade da modalidade mais tradicional de investimento frente a outras opções também tem influenciado este movimento.

A remuneração da poupança é formada por uma taxa fixa de 0,5% ao mês mais a Taxa Referencial (TR) - esse cálculo vale para quando a taxa básica de juros (Selic) está acima de 8,5% ao ano e atualmente está em 14,25% ao ano.

No ano passado, 53,36 bilhões de reais deixaram a poupança, marcando a primeira vez em dez anos que os saques superaram os depósitos. Foi também a maior fuga de valores desde o início da série histórica do BC.

Nenhum comentário:

Postar um comentário