Páginas

quinta-feira, 23 de junho de 2016

Ações da Oi despencam após pedido de recuperação judicial

A Oi é a maior concessionária de telefonia do país.

As ações da Oi despencaram no dia 21 de junho, um dia depois de a empresa anunciar que registrou pedido de recuperação judicial. Por volta de 11h30, seus papéis preferenciais estavam em baixa de 25,25% e os ordinários (com direito a voto), de 16,67%. Momentos antes, a queda das ações preferenciais passou de 30%.

A Oi, maior concessionária de telefonia do país, entrou no dia 20 de junho com pedido de recuperação judicial depois de ver fracassadas suas tentativas de renegociação de débitos com os credores. Segundo o comunicado em que anunciou o pedido de recuperação, as dívidas da empresa somam 65,4 bilhões de reais. O montante faz desse o maior pedido de recuperação judicial da história do país.

A empresa de telefonia foi uma das beneficiárias da chamada política de "campeões nacionais", segundo a qual, com crédito farto do BNDES, companhias selecionadas se tornariam gigantes em seus setores com capacidade para competir globalmente. A Oi foi ungida de maneira ainda mais benevolente: em 2008, o governo autorizou mudanças nas regras do setor de telecomunicações para que ela pudesse comprar a Brasil Telecom e se transformar em uma "supertele".

Em 2015, a companhia registrou prejuízo de 5,3 bilhões de reais e, no ano anterior, de 4,4 bilhões de reais. No primeiro trimestre deste ano, a perda da empresa foi de 1,64 bilhão de reais, montante 268% maior que o do mesmo período de 2015.

Nenhum comentário:

Postar um comentário