Páginas

quinta-feira, 12 de maio de 2016

Cabines telefônicas britânicas vão virar 'escritórios'

Hoje em dia há cerca de 9.000 cabines nas ruas do país – que funcionam mais como cenário para fotos de turistas do que para fazer chamadas telefônicas.

A startup americana BarWorks está repaginando 20 das famosas cabines telefônicas vermelhas, uma das marcas registradas do Reino Unido, que estão hoje desativadas. A ideia da empresa é transformá-las em pequenos escritórios compartilhados.

O projeto é simples: os usuários desbloqueiam as cabines por meio de um aplicativo de celular e, dentro dos caixotes vermelhos mais famosos do mundo, vão encontrar um escritório equipado com wi-fi, mesa, banco, tomadas, impressora e scanner e uma máquina de café e chá.

O tempo máximo de permanência vai ser de uma hora, tempo suficiente, de acordo com a BarWorks, para que freelancers ou trabalhadores que estejam longe de seus escritórios consigam aproveitar algum dos serviços disponíveis nas cabines.

O preço será de 10 libras por uso. A assinatura mensal sairá por 19,99 libras e inclui o uso de outros espaços maiores de trabalho compartilhado da empresa em Nova York e San Francisco. À reportagem do site Quartz, o presidente da startup, Jonathan Black, disse que os primeiros escritórios devem começar a funcionar no fim junho ou início de julho.

As cabines telefônicas vermelhas do Reino Unido foram produzidas entre 1926 e 1985, quando a British Telecom introduziu um modelo moderno e muito menos fotogênico. Hoje, há cerca de 9.000 cabines nas ruas do país - que funcionam mais como plano de fundo para fotos de turistas do que para fazer chamadas telefônicas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário