Páginas

sábado, 26 de março de 2016

Processos judiciais podem custar até R$ 162 bi à Petrobras

De acordo com notas explicativas no demonstrativo financeiro do quarto trimestre de 2015, R$ 114,3 bilhões são provenientes de processos de natureza fiscal.

A Petrobras considera que as ações judiciais que estavam em trâmite em 31 de dezembro de 2015 podem acarretar em perdas de até 162 bilhões de reais, de acordo com notas explicativas no demonstrativo financeiro do quarto trimestre do ano passado. Desse montante, 114,3 bilhões de reais são de processos de natureza fiscal, 22,07 bilhões de reais de ordem trabalhista, 19,95 bilhões de reais com causas cíveis gerais, 5,74 bilhões de reais com causas ambientais e 7 bilhões de reais com outras.

Segundo a estatal, essas obrigações são divulgadas, mas não são reconhecidas porque não se pode estimar com total confiança o valor do passivo futuro - em outras palavras, a saída de recursos não é certa. Entre os processos de natureza trabalhista, a petroleira enfrenta ações do Sindipetro em dez Estados (Espírito Santo, Rio de Janeiro, Bahia, Minas Gerais, São Paulo, Pernambuco, Rio Grande do Norte, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul).

Em nota divulgada ao mercado na manhã do dia 22 de março, a Petrobras informa ter recebido e-mail anônimo com informações sobre a gestão da área de recursos humanos, denúncia que diz estar sendo investigada. A estatal esclarece que a política de recursos humanos é "definida a partir da análise das necessidades do plano estratégico da companhia". No dia 21 de março, o jornal Valor Econômico publicou matéria segundo a qual práticas de RH da Petrobras poderiam representar passivos de até 40 bilhões de reais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário