Páginas

domingo, 20 de março de 2016

Artistas argentinos unem-se contra pagamento de dívida a 'abutres'

'Não voltemos ao fundo' é o título do vídeo estrelado por artistas argentinos contra o pagamento do débito bilionário.

O pagamento da dívida que a Argentina tem com os chamados "fundos abutres" mobilizou uma série de artistas no país. Um grupo de famosos divulgou nesta segunda-feira um vídeo para se expressar contra o desembolso bilionário.

"Não voltemos ao fundo" é o lema defendido por alguns dos rostos mais familiares do cinema, do teatro, da televisão e da música do país em um vídeo divulgado pelas redes sociais. No dia 15 de março, a Argentina começa a batalha para resolver o acordo do legislativo para o pagamento aos credores.

O roqueiro Charly García, a atriz Cecilia Roth se juntaram a Mercedes Morán, Leonardo Sbaraglia, entre outros músicos e comediantes em fotos em que demonstram sua posição contrário ao acordo proposto pelo presidente de centro-direita Mauricio Macri. O presidente alertou que, caso o acordo seja rejeitado, haverá ajustes, cortes forçados e hiperinflação.

"Divididos, seremos escravos, unidos, estou certo de que venceremos", dizem no começo do vídeo os atores Rita Cortese e Claudio Rissi. "Doze bilhões de dólares. Doze bilhões de crianças endividadas pelos próximos 30 anos", diz uma das mensagens do vídeo.

Os opositores do acordo argumentam que a Argentina voltará a se endividar, como na década de 1990, o que levou ao colapso do sistema financeiro em 2001 e a uma crise política e social sem precedentes. O débito com os fundos abutres tem origem no calote que a Argentina decretou em 2001, de cerca de 80 bilhões de dólares, o maior já dado por um país na história.

Há pouco mais de duas semanas, a Argentina fechou acordo para pagamento de dívidas com os fundos especulativos NML Capital e Aurelius, entre outros credores. O desembolso será de 4,65 bilhões de dólares em espécie, com o prazo máximo em 14 de abril. O governo precisa emitir 11 bilhões de dólares em bônus para cumprir o acordo, endividamento que a oposição busca limitar.

Para isso, o governo de Macri precisa derrubar duas leis que impedem o pagamento, condição imposta pelo juiz de Nova York, Thomas Griesa, para suspender ordens judiciais contra a Argentina. No fim de semana, alguns parlamentares de oposição que apoiam o governo nesse caso ameaçaram em não dar quórum na terça-feira para o debate na Câmara dos Deputados.

Assista ao vídeo:

Nenhum comentário:

Postar um comentário