Páginas

sábado, 25 de julho de 2015

Por dentro do hotel de robôs no Japão

Os funcionários de um novo hotel no Japão são eficientes, mas um tanto incomuns. Desde o check-in até a saída dos hóspedes, tudo é resolvidos por uma equipe de robôs.

Uma noite no hotel Henn na ("esquisito", em tradução livre), que faz parte do parque de diversões Huis Ten Bosch, custa a partir de 9 mil ienes (R$ 230), o que é considerado uma pechincha no país.

O fundador do parque, Hideo Sadawa, disse à imprensa que ter robôs trabalhando no hotel não é apenas um truque. Segundo ele, o objetivo é mostrar como os estabelecimentos podem se tornar mais eficientes com menos gastos trabalhistas.
Clientes que fazem check out mas querem deixar as malas têm a bagagem guardada por um robô semelhante aos industriais.
Para diminuir as luzes no quarto, o hóspede deve falar com um robô que atende pelo nome de Tulipa.
O carregador de malas foi substituído por um robô em forma de caixa.
Na recepção, clientes são atendidos por um robô-dinossauro.
Robô-andróide também ajuda no atendimento na recepção.
'Queria destacar a inovação e fazer algo a respeito da alta nos preços dos hotéis', diz fundador do parque onde está o Henn na.

"Eu queria destacar a inovação e também queria fazer algo a respeito da alta nos preços dos hotéis", afirmou.

O hotel atraiu o interesse da imprensa estrangeira, mas o público japonês demonstrou menos entusiasmo – afinal, o país já está acostumado a modas exóticas relacionadas à tecnologia.

Conheça algumas das principais "esquisitices" do lugar:

Um dinossauro na recepção

O Henn na tem diferentes tipos de recepcionistas, incluindo um dinossauro que fala inglês e uma andróide que fala japonês.

Ao chegar, é preciso digitar seus dados pessoais em um painel touch screen. Os robôs também usam tecnologia de reconhecimento facial.

Um carregador robô

Quem leva as suas malas até o quarto é, também, um autômato. Basta colocar a bagagem nele e digitar o número do quarto.

Sensores que detectam o calor do corpo

Os quartos são equipados com painéis que usam sensores para ajustar a temperatura do ambiente de acordo com a temperatura do corpo dos seus habitantes.

Além disso, também não há interruptores de luz. Quando querem apagar as luzes do quarto, os hóspedes têm que falar com a robô Tully, em forma de Tulipa. Além de escurecer o ambiente, ela também informa as horas e a previsão do tempo.

Um robô gigante para guardar suas malas 

Quer fazer o check-out, mas pegar as malas depois? Sem problemas. Um tipo robô gigante mais comum em fábricas ajuda os hóspedes a guardar suas malas em um quarto especial.

Os clientes colocam as malas em uma janela e elas caem em uma caixa. Em seguida, o robô recolhe uma por uma e as coloca em armários.

Nenhum comentário:

Postar um comentário